UmuaramaSol com algumas nuvens. Não chove.15º28º
|

Colunista

O sentido da Vida

ANDRÉA SEFRIAN (*) O Bemdito 31 de março de 2019 13h52

Com tantas tragédias acontecendo ao nosso redor muitos questionamentos começam a surgir na nossa cabeça...Porque ele fez isso? Como teve coragem? O que será que era tão grave a ponto da pessoa não querer mais viver?

Nunca teremos essa reposta, mas podemos tentar parar de julgar e criticar como fraqueza, porque o motivo na verdade é um só: uma dor muito grande que a pessoa queria que acabasse, mas que normalmente não demonstrava para não parecer fraco ou fora dos padrões.

Quando você fica doente, se corta, se machuca ou quebra um braço, a dor é tão desesperadora, que você não vê a hora de chegar no hospital para tomar um remédio para dor ou uma anestesia para que acabe com aquela agonia. Já com as dores emocionais, as dores da alma, não é tão simples assim, não existem remédios que cessem a dor imediatamente...

Algumas pessoas são mais resilientes e flexíveis e lidam bem com as adversidades da vida, mas outras, pelo seu histórico de vida, educação e cultura da família que foram criados, ou por experiência social frustrada acabam se comparando e se fecham, se isolando e se considerando fora do normal.

E é aí que entra o choque e a culpa da família e dos amigos que ficam... Uma dor inconsolável... Porque provavelmente em algum momento, essa pessoa até comentou que não estava bem, que andava triste em certos quesitos de sua vida, mas na correria do dia a dia, ou muitas vezes sem saber o que responder para ajudar, você somente respondeu que era pra ter calma que ia passar, ou simplesmente ter fé em Deus, até porque você estava cansado e não tinha muito tempo para ficar conversando, tinha que correr para o trabalho, ou fazer qualquer outra coisa que não fosse ficar ali tentando resolver a vida do outro... Por outro lado, também existem os casos em que a família tentou fazer de tudo para ajudar, amou intensamente, não abandonou em nenhum minuto e mesmo assim, a dor dele foi maior que qualquer alento que pudessem lhe oferecer.

Isso é covardia com quem fica? Não cabe a nós julgar, não cabe a nós ficar questionando os motivos, é tudo em vão...Porque agora aquela vida já se foi, com os motivos e as dores que só ele conhecia... Ele fez essa escolha, e somente ele é responsável por isso... o que podemos fazer e começar a questionar é sobre o sentido que estamos dando a nossa vida, e como isso está afetando a vida daqueles que são próximos a mim.

Precisamos resgatar a essência do ser humano... e essa essência se chama amor... Para quem acredita em Deus, e não estou falando de religião, e sim e somente em Deus, toda a sua criação e seus mandamentos, se resumem no amor... No amor por Ele e por tudo que fez por nós, no amor a si mesmo e gratidão à Ele pela vida, e no amor ao próximo... A maior lição que Deus nos dá o tempo todo, em todas as suas ações e em todos os testemunhos que deixou na história da Humanidade é a misericórdia com as dificuldades e fragilidades do outro, pois Ele defende a adultera, abraça o leproso, acolhe Judas com amor, mesmo sabendo de sua intenção de traição, etc... Jesus veio para nos mostrar o quanto devemos ter compaixão e viver para colaborar com a vida e alegria das pessoas ao nosso redor...E é esse o verdadeiro sentido da vida... Amar, olhar para o outro com compaixão, ser útil na vida das pessoas que amo, e das que eu não amo também... Por quê você acha que você se comove, e muitas vezes até se emociona ao receber a notícia de uma tragédia na vida de alguém que você nem conhecia? Você se emociona porque você é feito de amor, é essa a essência do ser humano, você se compadece da dor do outro, por que é esse o sentido da vida... Amar uns aos outros, cuidar uns dos outros, vibrar pelo sucesso do outro, ajudar aquele que não está conseguindo mais enxergar a saída...

Nós exisitimos para nos ajudar, isso mesmo... então se você não está bem fale, peça socorro, exponha suas dificuldades, existem muitas pessoas que não querem que você sofra, existem muitas pessoas que querem ajudar...e o quanto é gratificante ajudar...o quanto é pleno o sentimento de ver uma melhora na vida de alguém por causa de um toque seu, um abraço, uma palavra, um incentivo... E quando você se sentir melhor, vai querer fazer isso por alguém também, é natural...você vai querer retribuir... E nessa corrente do bem, a gente vai entendendo que o sentido da vida, é um só... Eu estou aqui por você, e você está por mim... Porque se fosse pra vivermos de individualismo e competição, Deus não teria nos criado e nos feito com essa essência, que se chama amor...

__________________________________________________________________________________________

(*) Andréa Sefrian (CRP08/12599) é Psicóloga Especializada em Gestão Estratégica de Pessoas pela PUC-PR, atua há 10 anos como psicóloga clínica ( CLINIMED ), além de ser palestrante e prestar consultorias e treinamentos em instituições e empresas,  conciliando com o trabalho de Psicóloga do CRAS do Município de Xambrê, concursada há mais de 6 anos. Apaixonada pelo ser humano, acredita que sua missão de vida é trabalhar ouvindo histórias e construindo possibilidades de esperanças. 

Comente

Leia também

SENAC
União

Mais lidas

TAKEJIMA
CELIO MOBILE
VIVIAN 1
VIVIAN 2