Cerca de oito toneladas de materiais foram recolhidas na oitava edição  Foto: Divulgação
Cerca de oito toneladas de materiais foram recolhidas na oitava edição Foto: Divulgação

Computadores descartados são recuperados e repassados a entidades

Acadêmicos do curso de Sistemas de Informação da Universidade Paranaense – Unipar estão concentrados no trabalho de triagem do e-lixo arrecadado na última campanha, realizada há poucos dias em Umuarama. Cerca de oito toneladas de materiais foram recolhidas.

Presente na Feira do Produtor, a campanha E-lixo entrou em seu oitavo ano com a proposta de dar destinação correta a equipamentos eletroeletrônicos, para que não agridam o meio ambiente, já que muitos possuem produtos químicos altamente tóxicos.

Com a supervisão do professor Leandro Clementino de Lima, acadêmicos do curso Sistemas de Informação da Unipar compareceram para ajudar na coleta dos equipamentos, como computadores, televisões, rádios, entre outros. “Dar chance ao acadêmico para participar da ação tem o objetivo de desenvolver nele a consciência social com o meio ambiente, para que ele entenda a importância da coleta do lixo eletrônico e da destinação correta desses equipamentos”, afirma o professor.

Ele informa que, após o recolhimento, o material passa por uma triagem, que identifica o que pode ser reaproveitado. Leandro informa que várias entidades já foram beneficiadas com as renovações que o curso realiza em equipamentos antigos. “As peças que podem ser aproveitadas, nós separamos e encaminhamos ao projeto da Unipar. Lá, podemos fornecer componentes que faltam para que esses computadores descartados, por serem obsoletos ou apresentarem alguma disfunção, funcionem e atendam a comunidade”.

O acadêmico do 4º ano, Arthur Pietchaki, foi um dos que participaram da equipe. Ele diz que a experiência é significativa: “Com essa ação, podemos colocar em prática os ensinamentos que recebemos no curso; ao recuperarmos equipamentos, conseguimos ajudar entidades que precisam deles”.

Hélio Camargo, diretor regional do Sescap (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis), reforça a preocupação com o meio ambiente: “Recomendamos à comunidade que guarde estes equipamentos e não jogue na rua ou em loteamentos, pois essa ação ocorre anualmente e o lixo eletrônico deve ser sempre descartado de forma correta”.

Comente

Veja Também

PREFEITURA