A situação da população indígena, especialmente as crianças, gera muita preocupação  Foto: Arquivo / OBemdito
A situação da população indígena, especialmente as crianças, gera muita preocupação Foto: Arquivo / OBemdito

Prefeito mobiliza lideranças para discutir a questão dos indígenas e andarilhos

O prefeito Celso Pozzobom uniu diversas lideranças na sexta-feira (12), na sala de reuniões do Gabinete, para discutir a situação dos indígenas e andarilhos que vivem na estação rodoviária municipal, na Praça da Bíblia e no Terminal Rodoviário Urbano.

Representantes das secretarias de Assistência Social, Saúde e Fazenda, polícias Civil e Militar, Guarda Municipal, Corpo de Bombeiros, Umutrans, Ministério Público, Conselho Municipal de Segurança, Conselho Tutelar e outras entidades que acompanham a população de rua discutiram alternativas para enfrentar a situação, que tem causado transtornos à população.

De acordo com a avaliação do prefeito, a ocupação de locais públicos por indígenas e andarilhos, principalmente, está fugindo ao controle do município. “Precisamos buscar soluções. A situação é bem precária na praça e no terminal”, avaliou Pozzobom.

População aumentando

O acompanhamento mais próximo, realizado no início do ano passado, deu resultado. Mesmo assim, essa população vem aumentando a cada dia, com a chegada de andarilhos de outras cidades e regiões.

Segundo a Secretaria Municipal de Assistência Social, Umuarama conta com cerca de 60 pessoas com família na cidade vivendo nas ruas. E esse número triplica quando são somados os moradores de outras regiões que vem mendigar aqui.

Na questão indígena, o promotor Marcos Antônio de Souza propôs aprofundar as discussões com a presença de representantes da Funai e caciques das tribos que enviam índios para vender artesanato em Umuarama, visto que muitos aproveitam a ocasião para pedir esmolas em semáforos e supermercados, utilizando inclusive as crianças.

O delegado Fernando Hernandes Martins explicou que sem a presença da Funai a polícia também fica de mãos atadas, posição compartilhada pelo coronel Agnaldo Letrinta, comandante do 25º Batalhão da PM. O inspetor Thiago Mota Neri, da Guarda Municipal, lembrou que cabe à Polícia Federal atuar na questão indígena, portanto deve ter representante nas próximas discussões.

Pertences de indígenas que estão 'acampados' na rodoviária de Umuarama

Ações

Algumas intervenções foram definidas e serão comunicadas em momento apropriado. Na tarde desta sexta, a primeira delas já foi realizada – uma Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) – em bares e estabelecimentos comerciais no entorno da Estação Rodoviária, principalmente que comercializam bebidas alcoólicas. “Queremos inibir a venda para os indígenas e andarilhos. Existe uma lei que proíbe o comércio de bebidas na rodoviária e ela deverá ser cumprida”, reforçou o prefeito Pozzobom.

Comente

Veja Também