Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Umuarama cogita implantar sistema modelo de reciclagem para lixo domiciliar

O diretor de Meio Ambiente da Prefeitura de Umuarama, Matheus Michelan Batista, o prefeito Celso Pozzobom e o diretor de departamento da Secretaria de Serviços Públicos, Carlos Alberto de Assis, conheceram nesta semana a UPL – Unidade de Processamento de Lixo – de Iguatemi (MS), que utiliza um método de reciclagem de resíduos considerado modelo de eficiência e humanização.

O processo é pioneiro no Mato Grosso do Sul e um dos poucos existentes no país, com um investimento aproximado de R$ 1 milhão em parceria com a iniciativa privada. O sistema tem a função de desidratar e semi-esterilizar o lixo domiciliar coletado pela cidade, retirando totalmente o odor e permitindo um processo de seleção salubre e confortável para os selecionadores.

“Notamos que o método e o equipamento empregado permitem eliminar quase que por completo o chorume produzido pelo lixo, um material altamente poluente e que exige um sistema especial de drenagem e tratamento nos aterros sanitários. Os equipamentos da usina realizam de forma distinta o tratamento do lixo orgânico e do material reciclável. O excedente é transformado em adubo orgânico, por meio de compostagem”, explicou Matheus Batista.

O sistema utilizado em Iguatemi desperta o interesse de municípios de várias regiões, que visitam a usina para conhecer o método de tratamento de resíduos sólidos e orgânicos.

“O processo envolve parcerias, uma alternativa que temos buscado em nossa gestão. Também buscamos melhorar as condições de trabalho dos recicladores, entendendo a grande importância do serviço que eles prestam ao meio ambiente e ao município, prolongando a vida útil do nosso aterro sanitário”, afirmou o prefeito Celso Pozzobom.

De acordo com o prefeito, o processo utilizado em Iguatemi se mostrou seguro, podendo servir de exemplo para muitos municípios que tenham preocupação com a preservação ambiental e as condições de trabalho dos recicladores.

“Percebemos que a separação dos resíduos é segura para os trabalhadores, principalmente por eliminar o contato com resíduos orgânicos, agroindustriais, hospitalares, óleo e similares”, completou.

O diretor de Meio Ambiente pretende desenvolver um projeto para avaliar a aplicação do processo em Umuarama, dimensionando a estrutura para o volume de lixo local. “Iguatemi processa cerca de 12 toneladas de lixo diariamente.

Em Umuarama, a Prefeitura recolhe entre 72 e 75 toneladas/ dia, que somam 2.500 toneladas por mês. Nossa cooperativa de reciclagem recebe mais 200 toneladas/ mês em materiais recolhidos pela coleta seletiva.

Portanto, a ideia depende de um amplo estudo de viabilidade, pesando custos e outros fatores”, disse Matheus Batista. “Só a melhoria das condições de trabalho dos recicladores da cooperativa já justifica um estudo mais aprofundado”, concluiu.

Comente

Veja Também