UmuaramaSol e aumento de nuvens de manhã. Pancadas de chuva à tarde e à noite.21º32º
|

Paraná

APP encerra greve dos professores após manifestação na Alep

Confira como foram os movimentos dos professores grevistas na região de Umuarama e no estado

Foto: APP

REDAÇÃO O Bemdito 4 de dezembro de 2019 18h33

Professores e funcionários de escola em greve realizaram uma assembleia na tarde desta quarta-feira (4) em frente ao Palácio Iguaçu, em Curitiba, e encerraram a paralisação, mas mantiveram o estado de greve.

A assembleia autorizou a categoria a realizar nova paralisação e mobilização caso seja anunciado mais algum ataque ainda este ano. Também aprovou orientação para que os educadores deixem de usar equipamentos particulares, como o celular, para lançar notas e registrar presença dos estudantes.

Na região de Umuarama, no primeiro dia da manifestação (2), nenhum colégio estava com as aulas totalmente paralisadas. Já nesta quarta-feira (4), os professores do Colégio Tiradentes e suspenderam integralmente as aulas da instituição. Conforme o Núcleo Regional de Educação de Umuarama, de 57 escolas que funcionam no período matutino, 13 ficaram parcialmente paralisadas. No período da tarde, de 64, 15 tiveram as aulas suspensas como forma de aderir ao movimento grevista.

Na terça-feira (3), cerca de 100 professores da região estiveram em Curitiba para acompanhar a votação da reforma da previdência na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Na ocasião, professores de todo o estado foram até a capital do Paraná para manifestar contrariedade ao projeto proposto pelo governador Ratinho Júnior de alterar as regras da previdência do funcionalismo público. Esse é o principal motivo pelos quais os professores resolveram fazer o movimento de greve neste período do ano. As novas regras propostas para a previdência aumentam a quantidade de tempo de contribuição e diminui o valor a ser recebido, o que significa trabalhar mais para ganhar menos, na visão dos professores.

Durante a sessão que ocorria na Assembleia, os professores foram impedidos de entrar para acompanhar uma sessão que ocorria na Alep. A justificativa era de que apenas alguns podiam entrar para não causar tumulto na Alep. Diante da recusa, os professores ocuparam a Assembleia e entraram em massa. Durante o ato de resistência, alguns professores sofreram repressão da Polícia Militar que estava no local para tentar assegurar a segurança. Uma professora ficou ferida na região da cabeça após ser atingida pela PM. Mesmo assim, os professores adentraram as galerias e acompanham o plenário pedindo para os deputados retirarem da pauta o projeto de reforma da previdência estadual.

Pela noite, os professores da região de Umuarama retornaram para a Capital da Amizade. Apenas cinco representantes da APP Sindicato da regional permaneceram para ficar em vigília em frente à Alep para poder acompanhar a votação da reforma da previdência na tarde desta quarta-feira (4). No entanto, a sessão foi transferida para a Ópera de Arame e os manifestantes foram impedidos de entrar.

O motivo justificado pelo deputado Ademar Traiano é de que, mesmo com um pedido judicial dos manifestantes desocuparem a Alep, os funcionários se recusaram a desocupar, o que fez com que o local fosse transferido para garantir uma maior segurança das pessoas e do patrimônio público.

Um outro fato descontenta os professores. O fato de os deputados desrespeitarem o regimento interno da Alep para que a votação ocorra de uma vez só, quando deveria acontecer em primeiro e segundo turno. “Eles querem apressar e não estão respeitando os funcionários públicos que serão os mais afetados com a reforma. Isso é triste, significa que não somos reconhecidos e ainda somos tratados dessa forma, com violência”, diz o presidente da APP Sindicato de Umuarama, Claudemir Miller

A sessão da Alep ainda estava ocorrendo por volta das 18h. Caso aprovada, os professores pretendem realizar novas manifestações. Em Umuarama, conforme o presidente da APP, deve ocorrer um protesto nas ruas evidenciando os nomes dos deputados que votaram a favor da reforma da previdência.

Comente

Leia também

Fabio Rebuci
PLAY GAMES
ANHAGUERA
Baruck
TUCCA
LAB

Mais lidas

OFERTA VIVIAN 1
OFERTA VIVIAN 2
GLOBAL_MOBILE
CARRETÃO - Qualidade Dose Dupla