UmuaramaSol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora.18º27º
|

Paraná

Ex-governador Beto Richa e outros 9 investigados viram réus

Foto: AEN

REDAÇÃO O Bemdito 11 de fevereiro de 2019 13h35

A Justiça acatou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) contra o ex-governador Beto Richa, que responderá pelos crimes de organização criminosa e corrupção passiva no âmbito da Operação Integração - desdobramento da Lava Jato.

Além de Richa, outros 9 investigados foram denunciados pelo MPF por participação no esquema de pagamento de propina pelas concessionárias de pedágio no Paraná. A defesa do ex-governador ainda não se manifestou sobre o assunto.

Segundo o MPF, foram desviados cerca de R$ 8,4 bilhões através de reajuste de tarifas e obras não executadas no Anel de Integração. O ex-governador, conforme denúncia, teria recebido mais de R$ 2,7 milhões em dinheiro - do total de R$ 35 milhões a título de propina pagos a agentes públicos. O valor teria sido usado para compra de imóveis de uma empresa que pertence à família de Richa.  

O ex-governador foi preso no dia 25 de janeiro por decisão do juiz Paulo Sérgio Ribeiro, da 23ª Vara Federal de Curitiba, sob alegação de que Richa tentou influenciar os depoimentos de testemunhas da investigação.

Na ocasião, por meio de nota, a defesa do ex-governador afirmou que os fatos que conduziram à prisão eram antigos e que todos os pontos foram devidamente esclarecidos, não restando qualquer dúvida quanto à regularidade de todas as condutas praticadas, no exercício de suas funções.

"No mais, o pedido se lastreia em ilações do MPF, exclusivamente suportadas em falsas e inverídicas informações prestadas em sede de colaboração premiada, por criminosos confessos".

No dia 1º de fevereiro, Richa foi solto por decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, que concordou com as alegações da defesa e ainda ofereceu salvo conduto para que ele não seja preso cautelarmente, "exceto se demonstrada, concretamente, a presença de algum dos fundamentos admitidos pela legislação processual para a decretação de tal medida".

(O Diário) 

Comente

Leia também

LAB
ACIU - SABADAO

Mais lidas

CELIO MOBILE
TAKEJIMA
CARRETÃO - Qualidade Dose Dupla
VIVIAN 2
VIVIAN 1
PLANALTO