UmuaramaSol com algumas nuvens. Não chove.15º26º
|
GASTRO - Dr. Gilberto
GASTRO - Dr. Gilberto

Paraná

Vacinação contra a febre aftosa termina nesta sexta-feira

Foto: Agência Brasil

REDAÇÃO O Bemdito 13 de junho de 2018 08h22

Esta é a última semana da campanha estadual de vacinação contra a febre aftosa. O prazo encerra sexta-feira (15). Nesta primeira etapa, é obrigatória a vacinação e comprovação da vacina de bovinos e bubalinos de zero a 24 meses.

A estimativa é de que 4,2 milhões de cabeças nessa faixa de idade devam ser vacinadas. De acordo com a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), cerca de 90% do rebanho já está vacinado.

Os produtores que não regularizarem a situação no prazo estabelecido recebem um auto de infração, que pode ser revertido em multa. “Para conseguirmos atingir nossa meta, é preciso manter os índices de vacinação suficientes, acima de 97%. Os produtores devem fazer a comprovação da vacinação nas unidades locais até sexta-feira”, diz o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias.

O calendário foi alterado no final de maio em função da greve dos caminhoneiros, que comprometeu a distribuição e venda de vacinas. Com isso, a Adapar alterou a data final da campanha de 31 de maio para 15 de junho, com base em uma recomendação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A dose é de 5 ml para todos os animais. Ao comprar a vacina nas casas agropecuárias, o produtor precisa obter a Nota Fiscal de compra e o Comprovante de Vacinação e Atualização Cadastral. O comprovante deve ser entregue nas Unidades Locais da Adapar no prazo determinado. A comprovação também pode ser feita pela internet, na página www.adapar.pr.gov.br.

Doença

A febre aftosa é uma doença infecciosa aguda causada por vírus, uma das mais contagiosas a atingir bovinos, búfalos, ovinos, caprinos e suínos. Causa febre, seguida do aparecimento de vesículas, principalmente na boca e nos cascos, dificultando a movimentação e alimentação dos animais, gerando elevada e rápida perda de peso e queda na produção de leite.

Atualmente, o Paraná é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) como Área Livre de Febre Aftosa, com Vacinação. Mas o objetivo do poder público é compor um bloco com outros estados para obter o reconhecimento de Área Livre de Febre Aftosa, sem Vacinação, já que a prática é considerada ultrapassada em outros países.

Assim, o Paraná espera atrair mais investimentos e conquistar mais espaço no mercado de carnes internacional. A ideia é substituir a vacina por formas de fiscalização permanente. A previsão da Adapar é que a última campanha de vacinação contra a febre aftosa ocorra em novembro deste ano. O último registro do vírus no Estado é de 2005, sanado em 2006.

Leia também

Comente

Serão moderados e passíveis de não publicação e/ou exclusão os comentários de cunho eleitoral, que contenham termos que possam caracterizar propaganda eleitoral, tais como a divulgação de nomes e números de candidatos, siglas e nomes de partidos políticos, slogans de campanhas partidárias, bem como palavras chave, tais como eleições, segundo turno ou outras nomenclaturas dessa espécie. Essa restrição permanecerá até o final do período eleitoral.

PRO-OFTALMO
ORAL SIN - Aniversário
NEIDE KUMAGAI - Hipnose
RINOPLASTIA - Dr. Ricardo
HOYER - 20% Desconto

Mais lidas

OFERTA_VIVIAN 2
OFERTA_VIVIAN 1
BLACK RIGOR
TOPWAY - Bike Indoor
OBEMDITO - WhatsApp
ECODE - Sites
ACIU - Ponta de Estoque