UmuaramaSol com algumas nuvens. Não chove.18º34º
|

Paraná

Trabalhadores dos Correios decidem manter estado de greve até agosto

A categoria se reuniu em assembleias e decidiu retornar ao trabalho nesta quarta
A categoria se reuniu em assembleias e decidiu retornar ao trabalho nesta quarta
Foto: Arquivo/OBemdito

REDAÇÃO O Bemdito 14 de março de 2018 09h19

Os funcionários dos Correios, que haviam deflagrado greve por tempo indeterminado na última segunda-feira (12), decidiram nesta terça-feira (13) encerrar o movimento. A categoria se reuniu em assembleias em várias regiões do Paraná e os empregados retornam ao trabalho nesta quarta-feira (14).

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Paraná (Sintcom-PR), houve a decisão ainda pela manutenção do estado de greve da categoria até a negociação do acordo coletivo, na data-base, em agosto. Neste período são discutidos vários temas entre empregados e empresa.

A paralisação havia sido uma forma dos trabalhadores pressionarem contra mudanças no plano de saúde ofertado pelos Correios, cujo debate parou no Tribunal Superior do Trabalho (TST), que decidiu que os funcionários devem passar a pagar um percentual do custo do plano ofertado pela empresa. O valor será proporcional ao salário. Também passa a valer cobrança sobre dependentes que são cônjuges e filhos.

Além disto, foi dado um prazo até julho de 2019 para que os Correios e os trabalhadores cheguem a um acordo sobre a manutenção ou não dos pais como dependentes dos empregados e quem vai pagar esta despesa. Até lá, eles permanecem como dependentes e terão direito ao atendimento completo.

“Nesta terça-feira, após a decisão do TST, a adesão à greve foi bem mais fraca. Ficou entre 20% e 30%”, afirmou Ezequiel Dutra, diretor de comunicação do Sintcom-PR. Nesta segunda, ele havia comentado que entre 60% a 70% da categoria havia participado da paralisação, enquanto os Correios divulgaram que 93,45% do efetivo no Paraná trabalhou normalmente.

(Massa News)

Leia também

Comente

Serão moderados e passíveis de não publicação e/ou exclusão os comentários de cunho eleitoral, que contenham termos que possam caracterizar propaganda eleitoral, tais como a divulgação de nomes e números de candidatos, siglas e nomes de partidos políticos, slogans de campanhas partidárias, bem como palavras chave, tais como eleições, segundo turno ou outras nomenclaturas dessa espécie. Essa restrição permanecerá até o final do período eleitoral.

HOYER - 20% Desconto
NEIDE KUMAGAI - Hipnose
ORAL SIN - Aniversário
OFERTA_VIVIAN 1
RINOPLASTIA - Dr. Ricardo

Mais lidas

churrascaria
katar
OFERTA_VIVIAN 2
CARRETÃO - Qualidade Dose Dupla