Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil significa 80% de chances de cura

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer é a principal causa de morte entre crianças e adolescentes (1 a 19 anos). Em 2016 a estimativa foi de 12.600 novos casos. Em 2013 foram registrados 2.835 óbitos.

Dividindo por regiões em 2017 o Sudeste e o Nordeste, respectivamente, apresentam os maiores índices de novos casos: 6.050 e 2.750. Na sequencia vem a região Sul com 1.320, Centro-Oeste com 1.270 e Norte com 1.210. 

Os avanços no tratamento da doença nas fases da infância e adolescência foram significativos, porém o diagnóstico precoce somado ao tratamento em centros especializados são imprescindíveis porque pode garantir até 80% de chances de cura, resultando na grande maioria dos casos, na qualidade de vida dos pacientes.

De acordo com o Médico Lisandro Lima Ribeiro, Hematologista e Oncologista Pediátrico dos Serviços de Transplante de Medula Óssea do Hospital de Clínicas e do Hospital Nossa Senhora das Graças, quanto mais tempo se leva para iniciar o tratamento, mais o organismo fica vulnerável a complicações. “Neoplasias com muito tempo de evolução apresentam complicações que podem ser irreversíveis. Quando o diagnóstico é feito em tempo, as chances de curam aumentam expressivamente”, reforça.

Alguns sinais podem ajudar a identificar que algo não vai bem com a criança. Ainda de acordo com o médico, palidez, aumento do volume das ínguas (gânglios), dores ósseas de grande intensidade, mancha branca na menina dos olhos, além de manchas roxas pelo corpo e sangramento nasal podem ser indicadores da doença. O surgimento de qualquer um deles deve ser levado em consideração e avaliado por um médico especialista, para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento o mais breve possível.

De acordo com a voluntária e Presidente da APACN, Mariza Del Claro, na Casa de Apoio da instituição, que é o local onde as crianças permanecem com seus acompanhantes durante o tratamento acontecem vários casos de sucesso porque a criança foi diagnosticada logo no início. “É por isso que todos os anos, realizamos a campanha do DNCCI porque queremos uma população cada vez mais esclarecida sobre o assunto”, reforça.

DNCCI

O Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil é no dia 23 de novembro, e a APACN realiza pelo décimo terceiro ano consecutivo, uma programação com ações nos dias 12 e 23 de novembro.

Linha do Tempo

A campanha do DNCCI surgiu por iniciativa da APACN que enviou um projeto à Brasília, para criação de uma lei, para oficializar uma data ao Dia Nacional de Combate ao Câncer Infantojuvenil (DNCCI). No dia 4 de abril de 2008, o então Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, promulgou a Lei 11.650 instituindo o dia 23 de novembro.

Apoiadores

Artistas, personalidades e influenciadores vestem a camiseta tema do DNCCI para registrar seus apoios à campanha nas redes sociais.

Comente

Veja Também