De acordo com o pneumologista Ronaldo de Souza, o narguilé é mais prejudicial que o cigarro  Foto: OBemdito
De acordo com o pneumologista Ronaldo de Souza, o narguilé é mais prejudicial que o cigarro Foto: OBemdito

Narguilé traz malefícios mais severos do que o cigarro, afirma especialista

De acordo com o médico pneumologista Ronaldo de Souza (CRM/PR: 20247 | RQE: 13913 | RQE: 18046), fumar tabaco usando o cachimbo árabe narguilé, traz malefícios mais severos ao organismo do que o cigarro.

“Estudos da Organização Mundial de Saúde comprovam que uma sessão média de narguilé equivale ao consumo de 100 cigarros. Outro perigo é a piteira. De boca em boca, ela aumenta as chances de transmissão de doenças graves, como a hepatite C”, alerta o médico.

O Instituto Nacional de Câncer – INCA em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizou um estudo que constatou que o cachimbo já é usado por pelo menos 300 mil pessoas no Brasil.O narguilé é composto de um fornilho (onde o fumo é queimado), um recipiente com água perfumada (que o fumo atravessa antes de chegar à boca) e um tubo, por onde a fumaça é aspirada pelas várias pessoas que compartilham uma sessão 

Originário da Índia, o narguilé é um costume centenário no Oriente que recentemente chegou a Umuarama e rapidamente ganhou uma legião de adeptos. Os bares e cafés especializados na venda e distribuição do produto se espalharam pela cidade. Atualmente são mais de 20, somente no centro.

O aroma é agradável, a confraternização entre amigos e o ambiente com decoração inusitada e música alta atrai os clientes, especialmente os mais jovens.

“O narguilé contém tabaco e por sua vez, nicotina. A substância causa dependência e produz os mesmos danos que o cigarro, porém em proporções ainda maiores. A fumaça do cachimbo de narguilé contém quantidades superiores de nicotina, monóxido de carbono, metais pesados e substâncias cancerígenas do que na fumaça do cigarro”, destaca o pneumologista.Uma sessão que dura entre 20 e 80 minutos de narguilé equivale ao consumo de 100 cigarros

Segundo a OMS, uma sessão de narguilé, que dura em média de 20 a 80 minutos, corresponde à exposição de todos os componentes tóxicos presentes na fumaça de aproximadamente 100 cigarros. “O uso de narguilé foi significativamente associado com o desenvolvimento do câncer de pulmão, doenças respiratórias e cardiovasculares”, destaca o pneumologista.

Um dos agravantes do uso do nargulé é o carvão. “ A queima do carvão produz substâncias cancerígenas, entre elas, o monóxido de carbono (CO), potencializando os riscos de doenças cardiovasculares”, diz o médico.A queima do carvão do narguilé produz monóxido de carbono, substância altamente cancerígena 

O risco da transmissão de doenças como: herpes, hepatite C e tuberculose é outro perigo do uso desse tipo de cachimbo.  “Ao compartilhar a piteira, os jovens ficam expostos ao contato com a saliva uns dos outros e a transmissão de doenças graves”. O fato de compartilhar a mesma piteira pode aumentar o risco de transmissão de doenças graves

Ilusões perigosas

Muitas mídias veiculam informações inverídicas a respeito do narguilé em sites e redes sociais que ajudam a iludir os consumidores. Não são raras as falsas publicações que alegam que a água do narguilé filtra a nicotina.

“A nicotina não é uma substância solúvel em água”, contesta o pneumologista. Outro equívoco cometido pelos usuários é acreditar que os produtos utilizados no cachimbo árabe são livres de nicotina.As essências confundem o paladar e fazem com que o usuário trague com maior profundidade e intensidade. "Não se engane, não existe tabaco para narguilé sem a nicotina", aconselha o especialista.

Outro hábito perigoso associado ao uso do narguilé é a mistura de maconha, vodca, tabaco e essência no mesmo recipiente. “Os usuários estão inalando três drogas que, associadas, podem provocar uma parada cardio-respiratória e levar a morte em poucos minutos”, ressalta o médico.

Males do tabagismo

O hábito de fumar tabaco prejudica o organismo globalmente, afeta todos os órgãos e diminui a expectativa de vida de quem fuma e também de quem convive com os fumantes. O cigarro pode causar cerca de 50 doenças diferentes, especialmente problemas ligados ao coração e à circulação, cânceres de vários tipos e doenças respiratórias. 

-  O tabagismo provoca vários estragos na região da boca. Além de modificar o hálito, a fumaça irrita a gengiva e pode facilitar o surgimento de cáries. Há também uma alteração nas papilas gustativas, o que afeta o paladar do fumante. O cigarro ainda aumenta os riscos de câncer de boca, apesar de ser menos prejudicial nesse aspecto que o charuto.

- Várias substâncias tóxicas presentes na fumaça fazem os tecidos dos pulmões perderem elasticidade, o que acarreta uma destruição parcial da estrutura desses órgãos. É isso que as radiografias de pulmão dos fumantes – bastante escuras – mostram. Das mortes provocadas por bronquite ou enfisema, 85% estão associadas ao cigarro. O câncer de pulmão é ainda a principal causa de morte por câncer entre fumantes.

- A nicotina aspirada pelo fumante segue para o fígado, onde é metabolizada. Por isso, esse órgão também está sujeito a desenvolver câncer.

- Já foram encontrados resíduos de um agrotóxico chamado DDT em amostras do alcatrão que compõe o cigarro. O DDT irrita as paredes do estômago e pode levar o fumante a sentir náuseas. Além disso, uma parte das substâncias tóxicas do cigarro é metabolizada no estômago, o que pode gerar gastrite, úlcera e até mesmo câncer.

- O cérebro também pode ser afetado pelas dificuldades de circulação causadas pelo cigarro. Os vasos comprimidos, a qualidade de sangue prejudicada e o aumento da pressão arterial podem resultar em derrame cerebral.

- A nicotina diminui a espessura dos vasos sanguíneos e o monóxido de carbono reduz a concentração de oxigênio no sangue. Assim, o fumante está mais sujeito a vários problemas relacionados à circulação, como aneurismas (dilatação de vasos sanguíneos que favorece os derrames), tromboses (entupimento de vasos), varizes e até uma doença chamada tromboangeíte obliterante, que afeta as extremidades do corpo, podendo levar à amputação de membros.

- Um dos órgãos mais afetados é o coração. A ação da nicotina faz com que o corpo absorva mais colesterol. O cigarro também eleva a pressão arterial e a freqüência cardíaca, que sobe até 30% durante as tragadas. Tudo isso é fator de risco para problemas no coração, tornando o fumante mais propenso a ter infartos.

SERVIÇO

O médico pneumologista Ronaldo de Souza (CRM/PR: 20247 | RQE: 13913 | RQE: 18046), atende no Instituto de Pneumologia e Geriatria. RUA AMAMBAI , 3661 - UMUARAMA/ PR - (44) 3622-8212. 

MOBILE INTERNA DETALHE

Comente

Veja Também

Anúncio Teste DOTHCOM 970x90