UmuaramaSol com muitas nuvens durante o dia. Períodos de nublado, com chuva a qualquer hora.17º23º
|

Umuarama

Catequistas estão usando a tecnologia para evangelizar durante a pandemia

Muitos pais auxiliam filhos em catequese on-line nos dias de reclusão

Foto: Assessoria Diocese

ASSESSORIA DIOCESE O Bemdito 4 de abril de 2020 18h11

Catequistas da Diocese de Umuarama estão usando a tecnologia a seu favor, e com o apoio dos pais dos catequizandos, conseguem continuar os trabalhos desenvolvidos nos encontros, e manter a evangelização.

A coordenadora da comunidade São Rafael, da Paróquia São Vicente Palotti de Umuarama, Rosenei Silva Oliveira dos Santos, conta que “a ideia surgiu da coordenadora geral, para que ajudássemos as catequistas a dar catequese on-line, utilizando os meios de comunicação, como também alguns aplicativos que possibilitem essa chamada de vídeo com uma quantidade de quase 20 crianças por chamada”, detalha a coordenadora.

Ela afirma que os pais foram essenciais para isso acontecer, visto que nem todas as crianças possuem o aparelho celular ou computador para acessar e, durante a catequese on-line e depois com as atividades do livro, cabe a família ajudar.

“Os pais que tive contato disseram que foi positiva, pois estamos com os mesmos objetivos de multiplicar um pouco do nosso conhecimento sobre Jesus com nossas crianças. É muito importante termos esse contato. Mesmo que de longe consegui sentir o amor de cada criança pela catequese e pela vontade de buscar mais a palavra de Deus. Estou muito feliz com os resultados de meus catequistas e meus catequisandos”, finaliza a coordenadora.

Altônia

Em Altônia, a catequista da pré-catequese, Ketlen Francislaine Elias da Silva, da Paróquia São Sebastião, também adaptou sua maneira de chegar até os pequenos e repassar os encontros.

“A pré-catequese é o início de tudo, de uma caminhada, e eles vem com muita cede de aprender e curiosidade. O auxílio dos pais foi crucial nesse momento, para passar toda a catequese para as crianças, pois alguns ainda não são alfabetizados. Eles acabaram fazendo a catequese junto com os filhos, interagiram com os pequenos e acabaram relembrando sua época, foi bonito e gratificante”, destaca Ketlen.

Sueli de Almeida Rodrigues Olivo, mãe do Pedro Henrique Rodrigues Olivo (7), apesar de resistente no início, fala que está sendo muito positivo. “Eu gostei, é realmente interessante, acho que valeu a pena fazer dessa forma, pois participamos junto. Foi uma experiência única e eles também estão adorando, é uma ocasião que a família se reúne para um momento com Deus,” conclui a mãe.

 

Comente

Leia também

PREFEITURA UMUARAMA
MORENA
AUTENTIC
PATRICIA DESPACHANTE
CALCE FÁCIL
LAB

Mais lidas

AGRO_E_PET_FAZENDAO
ACIU