UmuaramaSol com algumas nuvens. Não chove.20º38º
|

Paraná

Em Curitiba, Darlan recebe notícia de inclusão da duplicação da PR-323 em pacote de concessões

Presidente da AMP e prefeito de Pérola, Darlan recebeu a informação do Secretário de Estado de Infraestrutura do Paraná, Sandro Alex

O secretário estadual Sandro Alex e presidente da AMP Darlan Scalco
O secretário estadual Sandro Alex e presidente da AMP Darlan Scalco
Foto: Arquivo Pessoal

REDAÇÃO OBEMDITO/AEN O Bemdito 7 de agosto de 2020 13h00

O prefeito de Pérola e presidente da AMP (Associação dos Municípios do Paraná) Darlan Scalco esteve em Curitiba cumprindo agenda de compromissos e visitou o Secretário de Estado de Infraestrutura do Paraná, Sandro Alex. Em postagem feita em redes sociais, Darlan informou que no encontro teve a grata satisfação de ser comunicado por Sandro Alex, em nome dos prefeitos do Paraná, sobre a inclusão das obras de duplicação da PR-323 no pacote de concessão do Governo Federal.

“Estas obras possibilitarão o crescimento exponencial de nossos pequenos, médios e grandes empresários e produtores, além de oferecer mais segurança a todos que utilizam essa rodovia diariamente”, informou.

Darlan acrescentou: “Agradeço ao nosso governador, Carlos Massa Ratinho Junior e o secretário, Sandro Alex, que estão empenhando todas as suas forças para a execução deste projeto que também recebeu o apoio incondicional dos deputados Delegado Fernando, Márcio Nunes (Secretário de Estado), Jonas Guimarães, Soldado Adriano José e o meu companheiro de trabalho, Márcio Marcolino, presidente da Amerios e prefeito de Brasilândia do Sul, representante de todos os prefeitos da região”.

O pacote de concessões federal inclui a reavaliação do anel de integração em vigor atualmente no Paraná. Os contratos estão em vias de vencimento e o governo estadual estuda incluir mais de 1,3 mil quilômetros de rodovias ao anel de integração. A expectativa é de que as rodovias incluídas sejam a PR-323, PR-280, PR-092, BR-163 e BR-153.

PR-323

No dia 29 de junho o governo do estado divulgou reportagem a respeito de trechos de duplicação da PR-323. Na oportunidade, o secretário estadual da Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, lembrou também que a PR-323 vai integrar o novo pacote de concessões de rodovias do Governo do Estado em parceria com a União.

A expectativa é que o leilão possa ocorrer até o primeiro semestre de 2021, com a concessão valendo a partir de novembro do mesmo ano, quando vencem os atuais contratos.

Com isso, o Paraná passará de 2,5 mil quilômetros de rodovias pedagiadas para 4,1 mil, dentro do novo Anel de Integração. “Mas antes disso a PR-323 será duplicada até o Rio Ivaí e vai ganhar terceiras faixas, ampliando a capacidade de escoamento da produção”, afirma o secretário. “Mais obras e mais empregos para os paranaenses, especialmente neste momento de crise econômica derivada da pandemia de coronavírus”, acrescenta.

De acordo com o DER-PR, um investimento de R$ 3,2 milhões contemplará as melhorias ao longo de 63 quilômetros da rodovia – entre elas 45 quilômetros de terceiras faixas.

PR-323: tráfego intenso e clamor regional pela duplicação                    (Foto: Arquivo OBemdito)

Anel de integração em debate

O novo Anel de Integração foi pauta de um encontro virtual, realizado no dia 30 de julho, entre o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e a bancada federal paranaense. Estado e a União seguem discutindo lotes, obras e a modelagem da nova concessão de rodovias que cortam o Paraná.

A proposta será debatida em audiências públicas que devem acontecer até o final deste ano. Nos próximos meses também haverá consultas ao setor produtivo. A base das discussões é um estudo realizado pela Empresa de Planejamento e Logística S.A (EPL), em parceria com o IFC, braço de projetos do Banco Mundial.

O Anel de Integração original de 2,5 mil quilômetros de rodovias federais e estaduais deve ser ampliado com, pelo menos, mais 1,3 mil quilômetros. Estão previstos no plano a duplicação de aproximadamente 2,1 mil quilômetros e a construção de 14 novos contornos. As principais obras devem ser realizadas até o nono ano dos novos contratos.

“Será a maior concessão de rodovias do Brasil e contratos equilibrados para que o Estado seja um grande hub logístico. O Ministério de Infraestrutura é parceiro do Paraná nesse projeto transformador”, disse Ratinho Junior. Ele também destacou que a participação dos parlamentares ajuda a dar transparência e a equilibrar demandas de todas as regiões do Paraná. “É uma pauta da sociedade para acabar com um estigma. Não podemos errar”.

O estudo das novas concessões prevê modernizações em relação aos contratos atuais como tarifas menores antes do início dos investimentos, desconto para os usuários frequentes, proteção contra variações cambiais para assegurar participação de players internacionais, novos recursos de segurança viária e iluminação por LED. A estimativa é de R$ 42 bilhões de investimentos em obras, além de R$ 40 bilhões na operação.

Encontro virtual para debater o pacote de concessões de rodovias                                                 (Foto: AEN)

Audiências

O projeto final do Anel de Integração será divulgado após mais discussões internas, mas o objetivo é buscar contribuições que ajudem a refinar a proposta durante as audiências públicas. A licitação deve ocorrer em 2021.

“Esse diálogo ajuda a chegar nos detalhes. O Estado terá as melhores rodovias do País”, afirmou o ministro. “Estabeleceremos um modelo que seja atrativo para as empresas que vão assumir os compromissos, para o setor produtivo e que dê retorno para a sociedade em termos de segurança, turismo e trânsito de mercadorias”, destacou.

O secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, acrescentou que o Estado mantém diálogo constante com a EPL para que os contratos sejam exequíveis. Ele reafirmou o compromisso do governo estadual de fazer modernizações nas rodovias que eventualmente não forem contemplados na nova concessão, principalmente se as simulações indicarem tarifas muito elevadas.

“Todos querem o êxito desse processo. Estamos imbuídos do mesmo propósito. Estamos formatando um modelo minucioso e que garanta tarifas menores e grandes obras. Os trechos que ficarem de fora serão duplicados ou receberão terceiras faixas com recursos do Governo do Estado”, disse Sandro Alex. “Ainda falta bater o martelo, é o momento do ajuste fino antes das consultas. Essa concessão transformará o Paraná”.

Participaram do encontro virtual o chefe da Casa Civil, Guto Silva; o diretor-geral do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR), Fernando Furiatti; parlamentares que representam o Paraná na Câmara dos Deputados; o senador Flávio Arns; técnicos do Ministério de Infraestrutura e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit); e representantes da EPL.


 

Comente

Leia também

kumon-agora
BELLA ESTÉTICA
MORENA TOP LIFE
LAB

Mais lidas

UNINTER
TUCCA
PANVEL
PLACAS MIRANDA
VENEZA
FANCAR
FAZENDÇAO SHOW
FAZENDAO SEMANA
WHYSKRITORIO