UmuaramaTempo severo,com chuva forte e trovoada de manhã, à tarde e à noite.21º26º
|

Saúde

No Paraná, cada pessoa infectada transmite o coronavírus para outras três

Para conseguir estabilizar a pandemia, a estimativa é que seja necessário uma taxa de transmissão do vírus de 1,0 ou menor

Foto: Franklin de Freitas/Bem Paraná

BEM PARANÁ O Bemdito 30 de maio de 2020 13h15

No Paraná, cada pessoa contaminada pelo novo coronavírus transmite o agente, em média, para outras até três pessoas. É o que revela uma estimativa feita pelo grupo Covid-19 Analytics, formado por professores da PUC-Rio, e que revela um rápido avanço da doença no Paraná, com a taxa de contágio do vírus tendo saltado nas últimas semanas — em 11 de maio, por exemplo, o número era de 1,42 novas contaminações para cada infectado.

Para conseguir estabilizar a pandemia, a estimativa é que seja necessário uma taxa de transmissão do vírus de 1,0 ou menor — ou seja, que cada infectado transmita a doença para mais uma pessoa, no máximo. Desde o dia 15 de maio, entretanto, a taxa de reprodução do vírus no Paraná está acima de 2,0.

Esse cenário, então, pode se traduzir num avanço rápido no número de casos e de óbitos causados pela Covid-19. Até ontem haviam sido confirmados 3.984 casos da doença no estado, e a estimativa dos pesquisadores da PUC-Rio é que até 10 de junho esse número chegue a 6.783 – um avanço de 82,7%. Já com relação aos óbitos, o Paraná tinha registrado 169 mortes até ontem e até o dia 10 do próximo mês a previsão é que se alcance a marca de 225 óbitos — crescimento de 38,9% no total de óbitos em duas semanas, portanto.

Em entrevista ao jornal O Globo, o pesquisador Gabriel Vasconcelos, da Universidade da Califórnia e membro do Covid-19 Analytics, explicou que em estados até aqui com baixa incidência da doença, com menos de 400 casos por milhão de habitantes (caso do PR, com 325), o alto índice de reprodução da doença não chega a ser tão preocupante e a tendência é de, quando chegar num patamar maior, o número começar a baixar. “O problema é se esse índice se mantiver alto por um longo período”, ressaltou ainda ele, citando o caso de Goiás, que tem menos de 3 mil casos registrados, mas índice de contágio de 6,8.

Além disso, o especialista ainda explicou que o índice adequado para se iniciar uma reabertura, ou seja, para se flexibilizar as medidas de isolamento e distanciamento social, é abaixo de 1,0. Quando se atinge esse patamar, explica, o número de infectados vai começar a diminuir. “Se a taxa for 0,5, quer dizer que a cada duas pessoas com Covid-19, só uma nova vai contrair a doença”.

O cálculo para chegar ao índice de reprodução inclui fatores como a taxa de crescimento e os números de pacientes recuperados e de casos ativos (que estão com a Covid-19 no momento). O ciclo de infecção da doença considerado foi de 20 dias.

(Para ler a reportagem completa clique aqui)

 

Comente

Leia também

MORENA TOP LIFE
ADVENTISTA
LAB

Mais lidas

FAZENDÃO MEGA OFERTA
VENEZA
TUCCA
PANVEL
GLOBAL